sexta-feira, 30 de novembro de 2012

ELE HÁ COISAS


Ao entrar num espaço cultural em Lisboa, a primeira coisa que vi foi um quadro cujo estilo é inconfundível e se reconhece a quilómetros. Era dum artista da terra dos doudos que já não via há uma vida. O gajo atrás de mim perguntou-me se conhecia o autor e eu respondi que sim, entusiasmado: "é o Farinha, meu conterrâneo!" Foi então que ele me estendeu a mão e disse com um sorriso malandro, "muito prazer!"























Terra dos doudos, caracterizada





Lisboa, caracterizada

5 comentários:

  1. Olá! Qual é o espaço onde estão os quadros?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O primeiro está na terra dos doudos, o segundo não sei.

      Eliminar
  2. "Ao entrar num espaço cultural em Lisboa (...)". O que eu queria saber era qual era o espaço cultural em Lisboa!

    ResponderEliminar
  3. O Farinha é um artista tão bom que consegui identificar a tua aldeia só pela tela (creio eu!)... o engraçado é que eu imaginava-te geograficamente mais a norte...

    (as pinturas são deliciosas mas, tira-me uma dúvida por favor, à primeira vista parecem naif mas, depois de uma análise mais cuidada vê-se ali técnica, ele não é verdadeiramente naif pois não?)

    ResponderEliminar
  4. O Carlos 'e o maior! E as pinturas uma delicia.

    ResponderEliminar

Falem com o Jibóia, falem...